Mercado de sistemas de controle valerá US$ 13 bilhões em 2021

Com a eficiência energética se tornando uma das principais pautas da agenda política global, os governos e a iniciativa privada promovem, cada vez mais, a construção de edifícios verdes e eficientes em termos energéticos.

Uma vez que a automação predial e os sistemas de controle podem, efetivamente, monitorar e reduzir o consumo de energia nos edifícios haverá um aumento exponencial na sua adoção nos próximos anos.

A previsão é da Technavio, empresa global de pesquisa e consultoria tecnológica. De acordo com o seu último estudo de mercado, o tamanho da indústria mundial de sistemas de controle de aquecimento, ventilação e ar condicionado (HVAC) deverá saltar para US$ 13,1 bilhões até 2021, crescendo a uma taxa anual composta de 9% nos próximos quatro anos.

Um sistema de controle é usado para regular a temperatura, a umidade e o fluxo de ar dentro de um ambiente fechado, a fim de proporcionar conforto térmico a seus ocupantes. Segundo os analistas, a expansão global da indústria da construção civil está criando uma grande demanda por novos sistemas HVAC.

O documento, que será lançado este mês, fornece uma análise profundada do setor em termos de receitas e tendências nos mercados emergentes, dividindo-o em três segmentos: sensores, dispositivos controlados e controladores.

“O mercado de sistemas de controle por sensores é responsável por gerar mais de 40% da receita global setor e continuará sendo líder durante os próximos anos. Os sensores são usados para medir e detectar mudanças na temperatura, na umidade, na ocupação dos espaços fechados ou no fluxo de ar e sua pressão”, diz Bharath Kanniappan, um dos analistas principais em Technavio.

Os sensores funcionam como um elo entre os sistemas HVAC e os usuários finais. Os sensores mais avançados são capazes de se comunicar com termostatos, aplicativos de celular e internet. Esses sensores também podem auxiliar os proprietários de edifícios a otimizar o uso de energia e reduzir custos com climatização.

Além disso, muitos players desse mercado estão investindo pesadamente na melhoria dos sensores, o gera uma quantidade adicional significativa de receita.

O aumento do número de edifícios com vários níveis de piso e dispositivos controlados para monitorar o desempenho dos sistemas HVAC irá impulsionar o mercado. A automação doméstica inteligente é outro fator chave para esse segmento.

A demanda por termostatos inteligentes, que podem integrar os condicionadores de ar aos sistemas de automação residencial, registrará um forte aumento durante o período analisado. Atualmente, os fornecedores estão se concentrando na introdução de dispositivos controlados avançados e inovadores, capazes de agilizar as operações das unidades HVAC.

Já os controladores inteligentes ganharão proeminência nos próximos anos, mas os controladores independentes permanecerão sendo mais populares no mercado.

“Controladores autônomos ou em rede são instalados em edifícios para gerenciar os controles do ar-condicionado e atuar como a unidade de processamento central de todo o sistema HVAC. Os controladores analisam as mudanças detectadas pelos sensores, comparam tais alterações com os parâmetros previamente definidos e, finalmente, fornecem as instruções de ajuste aos dispositivos controlados”, explica Bharath.

Uma das empresas mais inovadoras do setor, a Full Gauge Controls amplia sua participação no mercado externo, estratégia que tem se mostrado acertada há vários anos.

“Retornamos recentemente da nossa 16ª participação como expositores na AHR Expo de Las Vegas. Tradicionalmente, somos a única empresa brasileira do segmento de controladores com estande próprio na feira”, frisa Antonio Gobbi, diretor da companhia que fabrica diversas soluções para esse mercado, entre as quais se destacam o TC-900E Log, o MT-512E Log, o MT-543E Log e a linha ThermOn.

* Matéria publicada na Revista do Frio Nº 322 - Março de 2017.